... Virtude ...

terça-feira, 23 de março de 2010

20ª Meia Maratona de Lisboa

Praça da Portagem


No domingo participei em mais uma Meia Maratona, 20ª Meia Maratona de Lisboa e como não há duas sem três, esta foi a minha terceira Meia Maratona, também a terceira participação na Ponte 25 de Abril. A primeira foi no ano de 2003 seguindo em 2005, ambas participei nas Minis. Cheguei ao local por volta das 9h30, e fui ao encontro do Antonio que lá estava á minha espera. No Pragal estava com alguma confusão no acesso a Praça da Portagem mas era normal derivado a grande afluência de corredores.

Com alguma paciência lá chegamos ao nosso local, fizemos um pequeno aquecimento antes de ir para uma nova aventura no que toca na minha parte. Estava com alguma cautela referente a prova, porque nesta semana transacta esteve tudo virado do avesso, sem o suficiente descanso uma alimentação descuidada, pouca ingestão de líquidos e treinar só na quarta-feira e foi de pouca duração, 7200m em 39min. Por já ter notado noutras provas, faz-me confusão em ver pessoas com dorsais das Minis que se nota que não correr mas andar e lá estão eles na frente para que, para empatarem de facto os que querem correr, é com alguma melancolia que presencio estas cenas.

10h30 deu-se o sinal de partida, eu não ouvi, só dei conta porque começaram todos a correr, fui sempre nos calcanhares do António, poucos metros já estavam os “penetras” a pararem, andarem, e a dificultarem os outros, ou menos que se encostassem para as “bermas”. Esta prova e de uma beleza inconfundível, o tabuleiro da ponte 25 de Abril ai temos a oportunidade uma vez por ano de a percorrer a correr, atravessando-a de carro ou comboio a correr e inesquecível. Ligar as duas margens a correr alcançando com a vista a bonita cidade de Lisboa, já na capital onde a prova terminava junto ao Mosteiro dos Jerónimos e uma das principais igrejas-salão da Europa, com vista para Padrão dos Descobrimentos foi erguido para homenagear os elementos envolvidos no processo dos Descobrimentos portugueses.

O longo percurso sempre junto ao rio Tejo ai podemos visionar a bonita Ponte 25 de Abril a margem sul com o seu ex-líbris, o Cristo Rei monumento religioso que constitui a maior atracção turística do concelho de Almada, a correr temos todo o tempo do mundo para observar todos os pormenores. Já no trajecto para Alcântara avisto o boné azul, ali estava o Mário. Fizemos juntos alguns quilómetros ate um abastecimento que deixei de o ver, só o vi depois na parte final depois do retorno, grande Mário.

Os primeiros quilómetros foram feitos com alguma prudência, pois já ia com algumas dificuldades os músculos estavam presos e sentia-me muito pregado ao chão, assim ate aos 9km. Eu bem dizia ao António “segue que isto esta mal” mas ele incentivava logo”Bora que isto e para baixar da 1h45” e eu pensava para mim como isto está deve de ser verdade. Por ser 21km e uma semana muito atribulada levei comigo um gel para tomar no momento de fraqueza durante a corrida para restabelecer as energias e deu resultado que a partir dos 13km sentia-me muito bem ate dava mostras de ter asas nos ténis.

No decorrer da prova o prazer de avistar vários amigos e incentivando-os e eles a mim, Mário Lima, Luis Mota, Carlos Lopes, o Costa, Joaquim Adelino, Pedro Ferreira, Fábio, Susan, entre outros que o António me ia dizendo. Esteve uma manha de muito calor e muita humidade, apesar de ter iniciado com algum nevoeiro, os abastecimentos estavam bem situados e foi de aproveita-los bem para hidratar e refrescar o corpo que bem que precisava. Dos 13km para diante foi um galgar de atletas sentia-me bem e com força, sempre com o António por perto como foi do princípio ao fim, mentalizado que baixar o tempo das 1h45 se poderia realizar. Completei a prova no meu melhor registo em Meias Maratonas em que participei, terminei num tempo não oficial registado no meu relógio de 1h43m no ritmo de 04:52 min/km.

Curioso e gratificante que corri do principio ao fim na companhia de bom atleta o António e que terminamos de braço dado. No final a confusão se gerou novamente com um grande aglomerado de pessoas e sair das imediações foi um pouco demorado. Hoje já estou recomposto do esforço e voltar a rotina normal nos treinos pois se avizinham provas duras em que vou participar, se tudo correr bem espero que sim!!!

Por final agradeço a todos pelo apoio dado e rápidas recuperações.
Fase Final da Prova - Consagração
CONTROLO 8.5KM: 43:05
CONTROLO 15KM: 1:14:30
CONTROLO 20KM: 1:39:17
TEMPO FINAL OFICIAL: 1h43'19
LUGAR GERAL: 1386
LUGAR ESCALÃO: 643

8 comentários:

Pedro Ferreira disse...

Grande forma!
Parabéns por mais uma excelente prestação!

António Almeida disse...

Cunhado
esta era para ser feita como foi, ironia do destino percorremos a pé o caminho que nos últimos meses, semanas, dias, entrou nas nossas rotinas.
De qualquer modo estás de parabéns, tirar 10 minutos ao teu anterior tempo é sempre de realçar e podes e decerto que vais evoluir ainda mais.
Abraço e beijos para a Carolina e Ruth.

Carlos disse...

Excelente prova Vitor. Os trilhos sempre dão um andamento melhor para estas de estrada.
Bem gritei para ti e para o antónio antes de partirmos, e estavam a 10 metros de mim, mas com tanto barulho e gente....
Um abraço
Carlos Coelho

Mário Lima disse...

Olá Vitor

Quando te vi no retorno com o António sabia que terias um bom final de prova pois o andamento era bom e o incentivo do António é o toque de Midas para transformar a fraqueza em força e assim sendo o objectivo foi conseguido e de que maneira. Retirar 10' ao tempo anterior, numa prova confusa como esta é de corredor.

Agora novos desafios vêm aí. Serão duros de certeza, mas o Vitor é já um guerreiro da estrada e dos trilhos. Quem o viu como eu a fazer aqueles 40km em Almourol, pode vir qualquer desafio que será vencido.

Abraços!

Ricardo Baptista disse...

Olá Vitor,
Grande tempo. E noutra meia sem ostáculos a atrapalhar o andamento inicial consegues tirar mais 10 minutos.
um abraço.

José Xavier disse...

Olá Vitor;

Muitos parabéns pela bela participacão. Tem toda a razão na questão organizativa. Misturar quem vai "passear na ponte" com quem vai correr é algo desagradável. Todos devem ter lugares distintos, porque os objectivos são diferentes.

Continuacão de boas provas.
Um abraco
José Xavier

luis mota disse...

Olá Victor!
Muitos parabéns à dupla. Grande resultado o vosso companheiros!
Aproveito para agradecer o incentivo que deram, chegando a deixarem a vossa corrida para apoiar a minha, muito obrigado.
Uma boa semana para vós, Luís Mota.

joaquim adelino disse...

Ias tão há vontade que ainda deu para desviares caminho ali junto ao Cais do Sodré para me dar um incentivo, eu ainda ia para lá, mas bem os vi e correspondi ao cumprimento da melhor forma que fui capaz, levantando o braço que já pesava, obrigado por isso, voltei a vê-los no retorno para a meta e pareceu-me que vinham muito bem.
Lembrei-me de S.João das Lampas, mas que diferença!!! Eu ali já levava um atraso de 2 kms.
Parabéns pela marca, agora conhecendo a distância as coisas vão passar a sair ainda melhor.
Abraço.