... Virtude ...

segunda-feira, 12 de abril de 2010

2º Raid Atlético Vale dos Barris

Aventureiros do Raid Vale dos Barris

Ontem participei na minha segunda prova de trail desta feita na Serra da Arrábida, sendo prova de auto-suficiência, os participantes teriam que levar o seu próprio abastecimento, liquido e sólido. Com partida no Clube de BTT no Vale dos barris, entre duas bonitas Serras, Serra do Louro que estende-se ao longo de quase todo o vale dos Barris. No cimo da serra é possível admirar os moinhos de vento aí existentes, a Serra da Arrábida com o seu clima temperado mediterrânico considerado um dos melhores de Portugal, é uma elevação situada na margem norte do estuário do Rio Sado, com o ponto mais alto a 501 metros de altitude e características peculiares de clima e flora. Apresenta uma flora rica em espécies mediterrânicas, tais como a azinheira, sobreiro, carvalho.

A segunda aventura fora do alcatrão o Raid atlético começou com uma curta viagem ate Palmela na companhia do meu cunhado António que mais tarde iriam juntar-se e completar o grupo com a Ruth e Carolina, Isabel e Vitoria. Chegamos ao clube de BTT e já se encontrava um grande grupo de atletas de seguida dirigimos ao local de recepção dos dorsais, surpresa minha quando vi que iria ficar com ”99” como eram só 100 participantes foi mesmo a tangente. Com a mochila as costas com o abastecimento necessário, levei 4 garrafas agua 33cl e 2 géis para efectuar o Raid, fui ao encontro dos amigos que se encontravam por ali, o Mário Lima, o Joaquim, o Daniel, o Costa, José Magro, a Analice que no sábado tinha efectuado os 100km de Merida que em tom de brincadeira para ela lhe disse, “Analice, já nos leva 14h30 de avanço, rsrsrsrs”, e mais alguns que conheci nos Trilhos de Almourol, entre eles o Sérgio e o José do “Macedo Oculista” na qual fizemos um trio. Depois de um pequeno briefing para nos dizer que trajecto era diferente da edição anterior para aproveitar a beleza natural e que haveria uma fonte de agua natural mais ou menos as 7km para quem quisesse abastecer e ter em conta com os ciclistas que se encontravam na serra, que eram muitos e sempre um perigo o cruzamentos com ele.

Deu-se o sinal de partida pouco metros a frente logo a primeira dificuldade, subir a Serra do Louro ate ao encontro do Moinhos de Vento. Depois foi recortar a Serra por entre estradas de terra batida sinuosas por vezes muita pedra solta, encontrei os mais idílicos locais, desde a nascente de agua e vales encantadores, com um vista maravilhosa para todos os locais em que o campo de visão alcançava entre eles o bonito Castelo de Palmela. O verde predominante de toda a Serra do Louro e Serra da Arrábida, esta onde mergulha apenas no seu vizinho mais próximo, o mar, com as bonitas praias de água cristalina. Com as suas dificuldades como se previa, para mim a principal dificuldade foi o calor, ar muito seco, que nas partes de sombra dava para respirar um pouco melhor, de resto como sempre em provas de montanha com trilhos para transpor com o seu grau de dificuldade. A prova teve dois pontos de controlo ao 17km e aos 25km, com um pequeno erro, em que passei aos 17km com 1h34 e não com 1h43 como esta na classificação. Só tenho apontar este único erro de uma prova muito bem planeada desde a escolha do trajecto lindíssimo bem marcado, por culpa minha no último trilho técnico não vi as fitas e já ia fora de rota, ate o almoço estava uma delicia uma belíssima feijoada.

Aos 26km encontrei o Daniel que ia com alguma dificuldade que me disse que não tinha agua e disponibilizei água que tinha. Os dois últimos quilómetros foram feitos com alguma dificuldade não tinha agua e bem que precisava me hidratar nessa altura, foi um rolar ate a meta sabendo que estavam a minha espera a minha queridas meninas Ruth e carolina. O que tiro de mais importante do Raid dos Barris e que consegui terminar mais uma prova em que me propus. Segundo a classificação terminei em 23º lugar num tempo de 2h59.23, num ritmo 05:58 min/km em 30km. No final e que estava o abastecimento uma mesa repleta de boas coisas para recompor as perdas ao longo da prova.

De seguida tempo de tomar um refrescante banho novamente com água fria, os músculos bem que gostaram, fresquinho era hora de almoço disponibilizado pela organização no “barracão” do clube de BTT, ementa uma reconfortante Feijoada. Depois do almoço reunimos em ambiente de convívio por ali mesmo e foi o concluir da confraternização e tirar ilações da prova, eu adorei e voltarei para a próxima edição se for possível.



Para o próximo domingo estarei presente na 5ª Corrida do S.L. Benfica do clube em que eu simpatizo, este ano pertence ao glorioso.



Ate domingo, Continuação de boas corridas.



Mais Fotografias aqui no meu Album Picasa
Classificações


/

7 comentários:

joaquim adelino disse...

Amigo Vitor, parabéns pela prova realizada, apesar das dificuldades encontradas que foram muito bem superadas.
A ajuda que deste ao Daniel foi um bonito gesto, que mais tarde te ia saindo caro, mas enobrece e muito por o teres praticado. Por ele e por nós digo-te obrigado.
Um abraço.

luis mota disse...

Olá Victor!
Grande e bom o grupo que te tem acompanhado nessas aventuras.
Parabéns por mais 30 km.
Agora é recuperar para outro desafio.
Obrigado pela simpatia e pelos comentários manifestados no tomaracorrida e no dorsal 3739.
Grande abraço,
Luís Mota

Fernando Andrade. disse...

Parabéns, Vitor.
Grande prova essa e excelente prestação.
Tive pena de não lá ter estado mas Mafra falou mais alto.
Abraço.
FA

António Almeida disse...

Como vês valeu bem a pena ficar por perto de casa, parabéns pela prova e quanto a este ano pertencer ao Benfica vamos ver...
Abraço.

Mário Lima disse...

Olá Vitor

Para já vou-te dar os meus Parabéns mas, por enquanto, não é sobre a prova realizada, mas sim à tua reportagem escrita e fotográfica. Se pegarmos na tua escrita e juntarmos as tuas fotos (e da Ruth) está uma reportagem 5*. É que estão umas fotos magníficas do percurso e da paisagem (já tinhas feito o mesmo em Almourol) e se uma fica mais tremidinha é sinal que o fotógrafo também corre (até eu alterei as que tinha e fui lá buscar algumas)

Para quem te lê e tiver a curiosidade de clicar nas imagens vai entender como é que cada vez mais há mais corredores de estrada a subir às serras. As vistas são soberbas e as tuas fotos comprovam-no.

Sobre a tua prova. Mais uma prova conseguida, belo gesto o teu da água ao Daniel (um companheiro que ia comigo, o Miguel, também fez o mesmo com o Magro que já não tinha água) e assim se vê o companheirismo, pois o Miguel também ficou quase a seco.

Fizeste um tempo excelente, eu quando voltar de novo cá quero fazer um tempo igual, e com o convivio final se passou um belo domingo.

Tenho realmente pena de vocês não irem até à Geira, mas havemos de nos encontrar numa outra prova, mas não a do Benfica pois calha num dia da Corrida das Coletividaes de Loures e assim sendo não há nada pra ninguém, como diria o Mário Mata.

:)

Abraços e beijinhos para as meninas.

Tudo de bom

Fábio Pio Dias disse...

Olá Vitor,

Depois destes comentários está tudo dito, excelente descrição da prova e parabéns pelo tempo e classificação alcançado, o desejo da continuação da boa forma na Corrida do Benfica e oxalá que este ano seja o do Glorioso. Eu irei à Corrida do Metropolitano.

Um abraço!

Joaquim Ferreira disse...

Olá Vitor!
É de uma Coragem tremenda fazer esta Prova que, pelo belo relato feito, deve ser de uma dureza tremenda!
Os meus Parabéns pela Participação na mesma! Um dia, quando "for grande" tb gostava de participar numa Prova dessas a sério!
Quem sabe!
Quanto ao SLB, tb penso que este ano não há hipótese, por isso aquele comentário do (cunhado) A.Almeida ... mau feitio eh eh eh
Um abraço para os 2!