... Virtude ...

domingo, 4 de abril de 2010

23ª Grande Prémio da Páscoa

Confraternização final, so la falta as meninas!!
Estavam a tirar as fotografias
Festas do Concelho de Constância que decorrem por estes dias da Páscoa, com ruas floridas de flores feitas de papel confeccionados manualmente, várias exposições e tasquinhas típicas, o Artesanato, Doces Sabores e o bonito cortejo fluvial nos rios Tejo e Zêzere de barcos trajados ao modo das épocas de então para receberem as Bênçãos de Nossa Senhora da Boa Viagem, também conhecida como Festa dos Barqueiros, que procura conservar viva a memória de outros tempos que se realiza todos os anos na segunda-feira de Páscoa, e o Grande Prémio da Páscoa de Constância de atletismo desde os escalões jovens e da prova de 10 quilómetros onde eu participei, alias numa boa prova bem organizada, bom trajecto, moldura humana em grande número os brindes muito bons tudo isto por nada em troca, custo zero para quem quis praticar desporto. A logística destas provas tem o seu custo, de ficar muito grato, pena de não haver mais provas de bom nível como esta, não pelo custo mas por uma boa organização.

Rumamos cedo para Constância, sendo conhecida por ter sido local de residência de Luís de Camões, que ai escreveu alguns dos seus poemas líricos. Família Veloso e família Almeida juntas deslocaram para todos participarem no evento, coincidindo também a homenagem há “Estrela Azul”, menina Margaret para que nunca seja esquecida. Chegamos a constância confrontamos com manha algo tímida, frio e chuva. Na direcção ao local de levantamento dos dorsais no posto de turismo da Vila, recordei-me dos Trilhos de Almourol que do outro lado do rio Zêzere lá ter passado e comentei com a Ruth, “Olha, por ali passamos nós quando nos trilhos”. Com os dorsais foi altura de ir equipar e efectuar um aquecimento na companhia do Antonio Almeida, Mário Lima e a Susan Mota. 11h15 deu-se o sinal de partida para os 10km fui com um ritmo que me sentia a vontade, apesar do 1km ter sido muito rápido, durante o percurso com uma vista maravilhosa para o rio Zêzere do outro lado do rio os trilhos que efectuei a um mês atrás.

Primeiros quilómetros fui sempre na “cola” do António mas pouco a pouco foi ganhando terreno, já no sentido inverso já iam companheiros da blogosfera Corredora que a medida que iam passando incentivava-os, o Nuno Romão que segui a em quarto lugar, seguindo o Luis Mota sempre inconfundível, o Carlos Lopes num bom ritmo, entretanto encontrei Jose Magro que fomos juntos ate ao retorno ai passei com 22’20’’, partir dai foi sozinho. Antes do retorno reencontrei o Antonio companheiro de estrada ai incentivamos mutuamente. Depois do retorno fui reencontrando com amigos, Fernando Andrade, Carlos Coelho, Susan Mota, Joaquim Adelino, Ana Pereira, fiquei com alguma tristeza não ter visto o meu amigo Mário Lima mas no final ele disse-me que me viu. A minha cunhada Isabel que participou na caminhada de 6km eu ainda me cruzei com ela, já com 7km que me incentivou e com a sua máquina a punho logo se apresou em tirar-me uma fotos, obrigado cunhada. Nessa altura passa por mim o Fernando Andrade eu cá para mim, “vi-te, eu já tinha feito o retorno vais num bom ritmo”.

Eu antes dos 8km apostei em dar corda aos ténis e acelerar mais o ritmo e correu bem, sentia-me com força depressa alcancei o Andrade que lhe disse logo “vamos” e ele “vai, vai Vitor” e lá fui. Numa bom ritmo antes da ponte de Constância alcancei o meu amigo António Almeida que lhe disse logo”vamos” eu sem abrandar lá fomos, mas a pequena descida de alcatrão e na entrada nos paralelos foi feita algo rápida ate ouvi uma voz “vai com calma”, os paralelos são um perigo constante. Terminei a prova em 44’31’’ num ritmo 04:27 min/km. No final tomar um refrescante banho, sim a agua estava gelada mas a necessidade dela teve que ser! Por estar em constância acabamos por almoçar por ali mesmo junto ao rio Zêzere, consolei-me com um reconfortante parto de Favas Guisadas. Mesmo antes de regressar estivemos em confraternização com amigos e juntos visitamos o recinto das festas da Vila com as suas barraquinhas. Eu e a Ruth já tínhamos estado na vila de Constância mas desta vez estava muito bonita com os seus efeitos para a festa do concelho, com certeza para o ano estaremos de volta.

Para o próximo domingo estarei presente nos 30km Vale dos Barris em Palmela na Bonita Serra da Arrábida.

Hoje já em modo de preparação para as difíceis provas que se avizinham efectuei um treino no Parque da Paz de 12km, espero que tudo corra pelo melhor, para mim e para todos.

Continuação de boas corridas.


TEMPO FINAL OFICIAL: 44’31
RITMO min/km: 04:27
LUGAR GERAL: 256LUGAR ESCALÃO: 114

Mais Fotografias aqui no meu Album Picasa.

6 comentários:

luis mota disse...

Aproveito para vos desejar uma boa semana e agradecer todo o apoio, ao longo destes meses de caminhada, até Paris.
Luís mota

Fábio Pio Dias disse...

Olá Vítor,

Mais uma excelente participação, numa corrida com carácter especial, Margareth, onde além da organização da prova é de saudar o convívio com a família e amigos.

Uma abraço e o desejo de uma boa prova no Vale de Barris.

Fernando Andrade. disse...

Bravo, Vitor!

Essa forma vai em crescendo e não custa prever que os bons resultados vêm aí.
Desejo uma excelente prova na Arrábida.
Grande abraço.
FA

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Gostei de vos ver. Sinceramente.

Gosto da tua descrição de prova. A fazer-me lembrar outros tempos...

Desejo-te uma boa prova na Arrábida.

3 beijinhos para os 3

Ana Pereira

Mário Lima disse...

Olá Vitor

É sempre um prazer revê-los, é bom ver o pessoal ali todo junto, tanto na partida como na chegada. É salutar saber que há quem vá para desfrutar o ambiente e não esteja sempre com a fobia da partida.

Já temos muitas corridas em conjunto e domingo mais um trilho iremos percorrer. Os trilhos que como os de Almourol nos marcaram pois também olhei para a outra margem e recordei que há um mês atrás estava eu, como tu, naquela montanha a subir e a descer, esgotado, revoltado, mas feliz quando cortei a meta.

São esses momentos que fazem com que as provas tenham hoje a importância que não tinham quando corria para ganhar uma medalha ou uma taça. Hoje o desafio é outro, é vencer mais uma etapa e com o Vitor, o António, a Ruth, a Isabel, as pequenas Carolina e Vitória, o Joaquim e outros que vamos conhecendo, torna-se um desafio enriquecedor pelo companheirismo que nos une nestas provas onde o difícil existe para ser vencido, embora sofrido.

Sobre Constância. Mais uma prova linda, junto ao Zêzere onde o Vitor teve uma boa prestação e o conselho final é sempre de escutar e de louvar a atenção. As calçadas são nossas inimigas e um pé mal metido é uma lesão para meses.

Pitágoras, o filósofo, fundou na Grécia Antiga uma religião baseada na transmigração das almas e no pecado de comer favas. Um dos preceitos era mesmo o de abster-se de favas pois para ele as almas escondiam-se dentro delas. Eu não sou Pitágoras mas favas nem vê-las.

:))))

Um abraço Vitor e até domingo na Arrábida, beijinhos às meninas.

luis mota disse...

Olá Victor!
Venho por este meio agradecer todo o apoio e simpatia manifestado pessoalmente e nos comentários deixados no Tomaracorrida e no Dorsal 3739.
Uma boa semana, Luís Mota