... Virtude ...

terça-feira, 9 de novembro de 2010

Estreia

Afurada-Gaia
Foto Isabel Almeida ( ver mais)

Domingo, 7 de Novembro de 2010, realizei o sonho de participar numa Maratona de Estrada, sou Maratonista concretizada na 7ª Maratona do Porto.


A operação Porto iniciou-se no sábado pela manha. Lisboa, Campo Grande 9h00, partiram dois autocarros cheios, entre corredores famílias e amigos juntaram-se perto de 100 pessoas, muito convívio, alegria, muita vontade, adrenalina e algum nervosismo, rumamos á cidade invicta. A blogosfera corredora estava presente, Eu, Antonio Almeida, Ana Pereira, Fernando Andrade, Filipe Fidalgo, Luís Parro, José Magro, Joaquim Adelino, sem blog amigo Carlos Coelho, Antonio Pereira, partimos ao encontro de mais amigos. Ana Pereira estás de parabéns, fizes-te um óptimo trabalho em conduzir-nos ate a cidade Invicta e regressar a Lisboa.

Chegados a invicta, palácio de cristal altura de levantar os dorsais e encher as reservas de “massa, massa, massa,….”, na Pasta Party, rever caras conhecidas e dois dedos de conversa, Vitor Dias, Miguel Paiva, Otília Leal, José Brito, luís Mota, Rui Pena, entre outros companheiros.

Parte mais triste do fim-de-semana, que deveria ser de lazer sem chatices e convívio e de fazer o que gostamos, correr, aconteceu o improvável, eu e o Antonio não fazíamos parte das listagens de inscritos, com esse efeito não tinha-mos dorsal para participar. Depois de alguma troca de palavras talvez impróprias que podiam ser facilmente evitadas, e sem haver muita vontade, disponibilizaram-nos dois dorsais. Mesmo assim não evitou constrangimento, e a vontade de o António em não participar, tenho pena que tivesse acontecido.

Na posse de Dorsal e saciado, era tempo de descansar o corpo depois de uma noite trabalho, já muito tempo não fazia uma bela sesta. Rapidamente chegou a hora de jantar para recarregar novamente a máquina com hidratos de carbono e tentar descontrair em família.

A Maratona começava a fazer efeito no pensamento, o nervosismo de um estreante a preocupação de preparar tudo para que nada faltasse.

Felizmente consegui ter uma boa noite de descanso, a manha acordou chuvosa, temperatura baixa mas óptima para correr. 8h00 hora em que o autocarro nos levaria ate ao local da partida, na companhia do Filipe Fidalgo deliciamos com um belo pequeno-almoço, acompanhados também com Adelino e Fernando no meio das estrelas quenianas. Batedores da PSP a postos toca a desimpedir a estrada, a emoção e ansiedade aumentava, já no Porto se notava o grande aglomerado de pessoas que não tiravam os olhos para nós.

Foi tempo de rever mais caras conhecidas da blogosfera corredora, Mark Velhote aniversariante no dia anterior, parabéns, o Ricardo Baptista, João Meixedo, conheci pessoalmente João Paixão. Tenho que dar os parabéns a todas as pessoas envolvidos na organização da Maratona mais mediática de Portugal, excelente organização com elevado número de participantes, só na Maratona terminaram 1180 atletas sem contar com as outras iniciativas, espectacular percurso, com partidas junto ao Palácio de Cristal e chegadas no Parque da Cidade, foi bonito correr ao logo das margens do Rio Douro, marginal de Gaia com vista para rio Douro com os seus barcos Rebelos embarcação típica que tradicionalmente transportava as pipas de Vinho do Porto que embelezam o panorama, bem como a velhinha mas bonita cidade do Porto, igualmente na marginal do Porto para lado de Gaia. Grande número de abastecimentos bem compostos de água, bebida isotónica, frutas, esponjas e a simpatia dos colaboradores, trânsito cortado mais uma vez não ouvi buzinadelas, só triste por não haver muito público ao longo do percurso assistir tão mediática prova.

9h00 horas, parava de chover, iniciei a minha primeira aventura na Maratona com objectivo das 3h30min uma fasquia um pouco alta, a táctica estava feita chegar a meia entre a 1h40, 1h45 sempre com o pensamento dos 30km como estaria fisicamente, ou estourava ou continuava. Para começar enfrentar uma subida de 400m ritmo lento, cheguei a rotunda da Boavista de seguida tinha a longa descida da avenida da Boavista para impor um ritmo mais rápido, sabia que podia ser prejudicial. Ia na companhia do Filipe Fidalgo aos 5km, 23min tinha 2min a menos do previsto. Ao longe víamos o Andrade, eu comentava com o Filipe, “esta ali a nossa boleia temos que o apanhar”. Depois do retorno aos 8km na rotunda de Matosinhos uma longa recta com vento favorável, aos 10km passamos com44min, aos 11km altura que alcançamos o Andrade, o Brito estava ali próximo. Sentia-me bem, incentivava o Filipe e o Fernando para me acompanhar mas optaram em continuar naquele ritmo, segui sozinho alguns minutos ate que apanhei a boleia do Brito. Num bom ritmo com o Brito a dizer, “vamos rápidos demais amanha os temas nos blogues vai ser o grande estouro”. Bem estava ciente desse perigo mas tentava tirar essa pressão dizendo, “confiança, quando lá chegarmos logo se vê”. Os paralelos da Ribeira foram uma dor de cabeça, entramos no túnel ficou sem satélite o Garmin nem tinha apercebido, adorei passar a Ponte Dão Luís direcção a Gaia, na marginal de Gaia havia mais paralelos para ultrapassar, a solução foi correr pelos passeios. Aos 15km passamos com 1h07min. Grande surpresa do dia quando chego Afurada o grande apoio que enorme balão de energia, lá estava a Ruth, Carolina, Vitoria, Antonio, a Isabel com a máquina a postos para mais um boneco. Quase que paro para tocar nas mãos das minhas meninas.

A 1/2 passei com 1h36min tempo bem abaixo do previsto mas confiante, para os quilómetros seguintes. Na marginal de Gaia antes e depois do retorno igualmente na ida ate ao Freixo e voltar ate ponte Dão Luis, coincidiu em cruzar com os amigos incentivando e incentivado. Segui em direcção ao Porto ainda na companhia do Brito, aos 25km passamos com 1h54min, seguimos juntos ate ao Freixo que coincidia com o retorno aos 28km. Como estava próximo do 30km sentia-me bem, alias muito bem, aventurei-me ir sozinho ate final. Antes dos 30km cruzei com o João Meixedo, ele gritou para mim mesmo há modo do Porto, “vais comum andamento do 'carvalho'”, eu sorri ao mesmo tempo que olhava para o relógio e bem que ia rápido, media 04:10 min/km abrandei logo. Partir dos 28 km e que tirei muitos benefícios da preparação que fiz, que o digam as dezenas de atletas que eu passava dos 28 aos 42 km, foi um incentivo extra que ganhei nesses quilómetros.

Passei ao 30km com 2h17min faltava 12km para chegar ao fim, rolava num andamento que sentia a vontade. Aos 31km vejo o ultima cara conhecida o Joaquim, incentivo que parecia estar bem, de novo dentro do túnel ficava sem satélite no Garmin e sem controlo de ritmo, seguindo novamente nos paralelos da Ribeira, que dor de cabeça opção baixar um pouco ritmo e rolar com precaução. Conseguia manter o ritmo apesar de o vento vindo de norte certas alturas dificultava, ao 35km passava com 2h41min estava tudo muito bem encaminhado, vinha ao pensamento, “assim e possível chegar com 3h20min”, continuava motivado relembrava certa frase do Luis Mota, “esforças-te em chegar aos atletas, não abrandes, continua”. A pior fase foi o vento forte que apanhei a partir dos 37km na Foz do Douro na longa recta que dava ate a rotunda de Matosinhos, mesmo assim continuava bem ate ao que um ciclista que por ali andava, vai-me dizendo “muito bem força vais num andamento muito bom, força, força…”, eu tinha a prefeita percepção que estava bem, soube bem ouvir tal incentivo. Faltava pouco mais que 2km para realizar o grande sonho, fiz a subida final num ritmo entre os 04:05 e o 04:25 min/km, pouco mais de 1km para final montes de gente nos passeios na estrada que saudava e incentivava efusivamente todos que por ali passavam gritando os nomes que liam nos dorsais, o meu não porque não tinha mas sentia inserido nesse movimento, um lindo corredor humano que éramos obrigados a passar por ali, foi uma loucura. Sentia-me realizado mas um pouco triste porque não estavam presentes as minhas lindas meninas na zona da meta, para poder partilhar com elas a imensa alegria que tinha, terminei com um tempo posso dizer fabuloso para minha estreia, ultrapasso a passadeira vermelha “sozinho” e linha de meta em 3h17’49, nos (42,560km!!), finalmente Maratonista.

Prontamente liguei a Ruth dando a notícia que tinha terminado dizendo-lhe do tempo que fiz, eis que ficou surpresa. Já na companhia do Filipe que está de parabéns pela estreia numa Maratona, era altura de regressar ao hotel eu estava com uma certa pressa de ficar junto das minhas meninas e festejar com elas.

Antes mesmo de regressar a Lisboa, o bonito convivo entre amigos não faltando boa gastronomia do Porto, Francesinha que estava uma delícia. Felicito todos os companheiros da blogosfera corredora e não só que estiveram no Porto, apoiando-me do principio a fim, agora faço parte de um vasto numero de bons maratonistas, muito obrigado.

Agora tempo de repousar e começar já a planear a próxima Maratona que falta apenas 4 semanas, será dia 5 de Dezembro de 2010 em Lisboa.

Domingo estarei na Nazaré para participar na Meia Maratona e conviver junto dos amigos.

Ate breve, bons treinos.

13 comentários:

Fernando Andrade. disse...

Parabéns Vitor
Entraste no Mundo da Maratona com uma facilidade impressionante. Para ti isto foi uma espécie de "Mini".
Grande abraço.
FA

José Xavier disse...

Olá Vitor;

Parabéns pela tua excelente prova. Nem o ventos te contrariaram na tua forte "pedalada".

Nota-se que estás mesmo em forma.

Agora já te podes considerar um maratonista a sério.

Boa recuperação e boa prova na Nazaré.

Um abraço amigo
dos Xavier's

António Almeida disse...

Olá companheiro TANDUR
parabéns, para mim como sabes não me surpreendeu o tempo que fizeste já que apostava nas 3h20...
Boa semana e domingo lá rumaremos à terra da "mãe".
Abraço.

joaquim adelino disse...

Grande Vitor, e grande prova, a confiança era muita e isso ajudou-te muito. Espero que continues a evoluir, mas devo avisar-te que o patamar já está muito alto e que agora em diante tens de controlar muito bem a possível progressão sem te deixares deslumbrar. Irás longe.
Abraços aí para todos e até à Nazaré.

José Alberto disse...

Olá Vitor,

Não posso deixar de me associar a esta "festa" que foi para si atingir o estatuto de maratonista, e logo com um tempo "canhão".

Muitos parabéns!

Um grande abraço e boa recuperação,

José Alberto

Luis Parro disse...

Grande Victor,
Já li duas vezes e até parece que te estou a ver quando nos cruzamos no retorno e vi logo que o tempo final iria ser fantástico. Quem sobe o 1º degrau assim, tem pernas para subir a escada até lá acima!!!!
A "Mãe Nazarena"" merece <1H30...!!!!!
Bons treinos de recuperação e até á tua 2ª Maratona
Luis Parro

sica disse...

Parabéns pela prestação, é optimo quando atingimos e ainda ultrapassamos os nossos objectivos.
A prova que o treino estava lá é a boa recuperação e a predisposição para fazer outra Meia já no Domingo.

Fábio Pio Dias disse...

Parabéns CAMPEÃO!

Nunca duvidei que irias concretizar este "sonho"de participar e acabar uma Maratona!

Agora é descansar e boa recuperação para a "mãe" da meias-maratonas.

Um forte abraço e beijinhos para as tuas meninas!

Fiquem bem!

Otília disse...

Parabéns Vítor!
Foi uma estreia Fantástica! É realmemte maravilhoso acabar uma Maratona.
Agradeço os vários incentivos que me deste durante a prova, para quem vai tão depressa não é fácil.
Até breve e beijinhos para as meninas
Otília

Joka disse...

Parabéns Vitor, guerreiro !!!!!!!!!

Tiago Antunes disse...

Parabéns!!! Que venham outras!!!

Abraço

Tiago Antunes
www.vodoismax.blogspot.com

Rui Pena disse...

Boa Vitor,

Foi de facto uma excelente prova, estás de parabéns... pareces ter fibra de bom maratonista.

Abraço...

PS: estou a por em dia a leitura dos blogs... :)

João Paulo Meixedo disse...

Uma estreia em GRANDE! Em muito grande.
Ninguém te pára.
Um grande abraço.