... Virtude ...

segunda-feira, 21 de março de 2011

21º Meia Maratona Lisboa

Ontem Uma manha magnífica, lindo dia Primaveril. Primavera que se inicia hoje, para ser formosa falta-me uma Rosa no meu canteiro para ficar completo. 20de Março 2011 Dia da 21º Meia Maratona Lisboa ponte 25Abril, a população deslocou-se em peso como se tem verificado ano após ano. Nota-se na rua a quantidade de pessoas a andar ou correr quando se avizinha estas provas mais mediáticas. Bonito de ver esta moldura humana do mais novinho ate ao mais velhinho, mas, tenho de salientar que se continua a verificar que não há consideração por quem lá vai para efectuar a sua prova de atletismo, lutar por um melhor tempo, por mais uma prova no seu calendário ou por outra razão, pois, falo daqueles intrusos que só lá vão para complicar tudo, organização tem que rever esta situação da prova mais curta. Querem estar bem a frente para quê, não percebo, eu num zig-zag, entre encontrões, picardias, etc… fui furando a muralha, de lamentar. Só comecei a correr num ritmo normal já passava de 1km, e tive que correr em cima tapete de ferro pois para lá quase ninguém vai só os doidos como eu, inacreditável.


Segunda vez que participo na Meia Maratona de Lisboa, e paciência para isto já me falta, mas bem antes da hora de partida lá estava na praça de portagem. Antes pelas 9h00 como combinado com Almeida efectuei um aquecimento treino de 10km, depois foi aproveitar a prova e efectuar um treino longo. Faltava um Tandur, o Filipe, mas ele nem velo só durante a prova e que cruzei com ele, e pensar que podia-mos estar lado a lado, fica para próxima. Lado bom do dia foi rever os amigos que tantas saudades tenho de estar e falar com eles, na praça da portagem revi o grande amigo Luis Mota, José Lopes que o cumprimentei pela primeira vez , entre outros. Durante o percurso foi um cruzar e revi, Luis Parro e Fernanda, Hamilton, Fernando Andrade, Jose Melo, Fábio Dias, Susan Mota obrig pelo incentivo, Dina Mota, não puderam comparecer o Joaquim Adelino e o Mário Lima, e que tanta falta faz ao mundo da corrida.

Fase inicial ( Foto Parro)

Da minha prova tenho a dizer que correu bem, na próxima edição vou ponderar em voltar a participar, prova praticamente plana muito bonita, 10h30 já apertava o muito calor que fazia, por volta dos 13km já com “23km” foi o momento que fui um pouco abaixo, mas nada que uma “bomba” não resolva. Já em Belém cruzei-me com meus país e irmã, só lá faltavam as minhas “meninas”, para ser uma festa em grande. Fui acumulando quilómetros e terminei a Meia Maratona nos 21.23km marcados pelo meu Garmin, tirando alguns minutos da edição anterior, em 1h37.10s num ritmo 04:34 min/km, classificado no 973º lugar na geral em 6331º atleta que terminaram. Para um total 31km percorridos em mais um treino longo, o que custou mais foi ir directamente trabalhar, bem que me fazia a tarde de descanso esticado na cama, coisas da vida ingrata para alguns, como se diz cada um tem o que merece….

A todos um forte abraço e bjs, e as rápidas melhoras para “Pára & Comando”.

Próxima aparição talvez nos Trilhos de Almourol, vou tentar contornar o impossível!!

Finish

8 comentários:

Tiago Antunes disse...

daee parabéns pela prova!

luis mota disse...

Olá Vítor
Gostei de te rever mas infelizmente tive de avançar para tentar partir o mais à frente possível.
Esta é uma prova que adoro e nem que seja o último a partir quero estar presente.
Aproveito para te enviar um forte abraço e esperar que a Primavera traga um calor especial para ti.
Até Almourol.

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

a ti começa-te a faltar a paciência, a minha já se me acabou há uns anos (mas convenhamos que comecei a correr essa prova em 96, tendo-la feito várias vezes nas 2 versões: Mini e Meia) Hoje, definitivamente, (para além de não estar em forma mas isso parece-me um pormenor para o que pretendo transmitir), não tenho mesmo paciência.

Paga-se para correr, e vemo-nos num circo... para mim, esta prova perdeu o encanto há muito, talvez o preço a pagar quando as provas crescem muito... mas se crescem assim tanto, também não precisam de "ovelhas negras" que não gostam do que toda a gente gosta (eu).

Beijinho Vitor

José Xavier disse...

Olá Vitor;

Mesmo apesar das últimas lesões, pareces estar em forma. Se não fosse esse tipo de organização, desorganizada e com o tipo de "tudo a molho e fé em deus" certamente tinhas aproveitado melhor.
Tal como dizes, a organização terá mesmo de pensar futuramente, que existem pessoas que também gostam de correr e outros gostam de passear, mas os objectivos não sendo os mesmos, terão de ser diferenciados.
Venham até à europa do norte e verão como se fazem coisas dessa dimensão, e para pessoas com objectivos diferentes.

Um abração amigo
dos Xavier's

Filipe Fidalgo disse...

Olá, "primo".
Esta meia maratona começa a ser uma verdadeira organização desorganizada, apesar de ter a capacidade de pôr a mexer cerca de 36.000 pessoas. Espero que no futuro as coisas mudem verdadeiramente , pois continuo a gostar muito da prova apesar deste ano ter sido muito mau.
Parabéns pela tua prova, ou pela marca possível dado os contratempos que tens tido. A tua mentalidade guerreira nesta alturas sobressai e lá voltas tu aos bons momentos e boas marcas.

Um grande Abraço Tanduriano.
Filipe Fidalgo

António Almeida disse...

TANDUR Veloso
obrigado pela companhia naqueles 10 kms antes da meia, não fosse a tua companhia se calhar também não tinha lá posto os pés, apesar de ser ano "sim", eu voltarei em 2013.
Abraço.

Mário Lima disse...

Vítor

Pelo que escreves foi por isso que não tive pena de não ter participado na Meia da Ponte. Há alguns anos atrás não perdia uma corrida destas, agora e se leres o meu tema do ano passado, cada vez mais me corto a este tipo de eventos. Não há pachôrra para aturar a falta de organização. Nós só ali estamos para dar os 50.000€ de resto somos carne pra canhão. E não vai haver melhoras. Ano após ano a multidão que anda vai ficar à frente do pessoal que corre (nem sei para que é que se separa a mini da meia, se depois ficam todos juntos).

Foste pelo gradeamento, já lá me lesionei, para quê? Para mais uma medalha que vai para uma caixa?

Em 1992, e mais alguns anos depois, a meia era Meia, agora não é nada. É um trambolhão de pessoas.

Melhor seria fazer um belo treino na praia.

Mas foste lá, sinal que ainda mexes, agora vamos a Almourol e deixa-te de "tangas"!!!

:)))

Abraços

Kleber RG disse...

Bacana seu relato, amigo Vitor!
Já estou por aqui, seguindo o Blog.

Um grande abraço!
Kleber RG
www.maratonacorreria.com